Home
Quem somos
Programas
Álbum de fotos
Hanseníase
Tratamento
Notícias
Parceiros
Contato


           A ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA AOS HANSENIANOS DE JUNDIAÍ, tem por finalidade amparar, dentro de suas possibilidades, e de forma inteiramente gratuita, mediante solicitação e documentação médica comprobatória, os portadores e ex-portadores do mal de Hansen, bem como suas famílias, em situação de vulnerabilidade social, corroborada por avaliação técnica/social, residentes no município de Jundiaí, há 1 (um) ano no mínimo, por meio de ações como:

 
a)     Garantir acesso à alimentação, vestuário, higiene, saúde e educação;

b)     Promover condições para que os usuários e suas famílias tenham auto-estima elevada, sejam integrados e aceitos na comunidade e alcancem autonomia em relação à Associação;

c)     Disponibilizar atendimento profissionalizado nas áreas de Assistência Social, Saúde e Educação;

d)     Cooperar com a Secretaria Municipal da Saúde de Jundiaí – Área Hanseníase, ou outro órgão que venha substituí-lo, certificando-se de que os usuários estão passando pelos exames de controle que são promovidos e de competência desse órgão;

e)     Criar projetos sociais tendo como referência a Lei Orgânica da Assistência Social (Artigo 2) que prevê:

·                     proteção à família, adolescência, infância e terceira idade;

·                     promoção da integração ao mercado de trabalho;

·                     habilitação e reabilitação dos usuários da Entidade e a promoção de sua integração à vida comunitária;

f)       Cooperar com as demais associações congêneres sediadas em Jundiaí, estimulando-as a adotarem programas planejados e coordenados, visando uniformidade na assistência aos portadores de hanseníase, ex-portadores, e seus familiares;

g)     Lutar contra todos os tipos de preconceito, estigmas e segregação da sociedade em relação aos usuários;


         A Entidade faz seu atendimento de segunda à sexta-feira, das 8h00 as 12h00 e das 13h00 as 17h30, à 65 famílias cadastradas, num total de 250 pessoas com atendimentos na área de serviço social e psicologia que realizam diversas ações e encaminhamentos através dos programas:

 
SERVIÇO SOCIAL DE APOIO À SAÚDE

         Este programa visa possibilitar a prevenção e o tratamento de incapacidades e doenças associadas dos portadores e exportadores de hanseníase, promovendo saúde e autocuidados.

  ACOMPANHAMENTO SOCIAL ÀS FAMÍLIAS

          Este programa visa oferecer atendimento técnico/social aos portadores e exportadores de hanseníase e suas famílias, visando promover condições para que os mesmos tenham autoestima elevada, sejam integrados e aceitos na comunidade e alcancem autonomia em relação à Associação.



            A primeira Associação com o objetivo de cuidar do problema do Mal de Hansen em Jundiaí, foi fundada em 18/12/1907 com o nome de Associação Protetora dos Morféticos, sendo os estatutos registrados sob nº. 4 em 28/10/1908.

            A finalidade é a mesma de hoje, mas à época foi construída a Vila São Lázaro, inicialmente com seis casas no lugar onde hoje está o Conjunto Educacional do SESI, na Avenida Antônio Segre, para abrigar os doentes e familiares.

           Naquela Vila, havia a Capela São Lázaro, onde oficiavam-se missas freqüentadas pelos doentes e moradores da Ponte de Campinas.

            A entidade fornecia alimentação, cuidava da conservação das casas e ainda proporcionava hospedagem aos doentes em trânsito. Constava, ainda, como atribuição da entidade, impedir que os doentes solicitassem esmolas nas ruas de Jundiaí.

            Em 15/11/1933 foi fundada a Caixa Beneficente do Asilo Colônia Pirapitingui, com sede em Itu - SP, devidamente registrada sob o nº. 18 no Cartório da mesma cidade.

Em 1940 estavam internados naquela Colônia cerca de 2.300 pessoas, entre as quais as famílias de Jundiaí, que foram para lá removidas compulsoriamente.

            Assim, decidiu-se auxiliar diretamente a Caixa Beneficente do Asilo Colônia de Pirapitingui, criando-se uma nova Associação denominada Associação Pró Caixa Beneficente do Asilo Colônia de Pirapitingui de Jundiaí. A sua fundação deu-se em 20 de abril de 1939. Foi registrada sob nº. 70, em 24/04/1939, no Registro de Pessoas Jurídicas de Jundiaí.

            De fato muito se trabalhou, tanto que, em 1941, conseguiu-se construir o Pavilhão de Jundiaí, naquela Colônia em Itu.

            Diante do problema surgido com duas entidades praticamente com o mesmo objetivo, a Associação Protetora dos Morféticos de Jundiaí, com a Vila São Lázaro desativada, encerrou suas atividades em 16/03/1942, sendo que seu patrimônio foi entregue à Prefeitura Municipal, remanescendo então a Associação Pró Caixa Beneficente do Asilo Colônia de Pirapitingui de Jundiaí.

            Em 07/05/1948 realizou-se na Associação Pró Caixa Beneficente do Asilo Colônia de Pirapitingui de Jundiaí uma Assembléia que deliberou por alterar a sua denominação chamando-se então Associação de Assistência aos Hansenianos de Jundiaí, que recebeu o patrimônio da antiga Associação Protetora dos Morféticos de Jundiaí.

            A colaboração com a Colônia de Pirapitingui teve continuidade, sendo instalada a Biblioteca Infantil, isto em 08/04/1951.

            Em 31/03/1953 a Associação das Damas de Caridade pleiteou a entrega do patrimônio da entidade extinta. Teve a Associação de Assistência aos Hansenianos de Jundiaí que se defender judicialmente para preservar seu patrimônio, fato que só ocorreu em 04/06/1962.

            Em 13/05/1963 a Associação foi declarada de Utilidade Pública Municipal.

            Em 05/06/1967 foi aprovado o pedido da diretoria da Associação dos Egressos de Lepra dando-se amplos poderes para administrar o patrimônio da Associação e conservar as residências, dar ordens, desocupar e alugar casas aos egressos, tratar com os Vicentinos o uso da Capela São Lázaro, autorizar plantação nos terrenos, demolir e construir da forma que melhor entendessem, ficando com toda renda apurada.

            A Associação dos Egressos, da qual não foram encontrados dados e documentação, conviveu em nossa Associação muitos anos e prestou inestimáveis serviços à sua comunidade, construindo até campo de futebol e restaurando a casa da Rua dos Bandeirantes, transformando-a em ambulatório, barbearia, farmácia e depósito.

            Em 23/01/1970 é publicado o decreto que declarou de Utilidade Pública para desapropriação de um terreno com 67.838 metros quadrados e casas da Vila São Lázaro, onde foi ofertado C$ 6,00 o metro quadrado, restando para a Associação um terreno com 7.690 metros quadrados; desta desapropriação recebemos C$ 370.000,00; com parte dos recursos foi comprada uma ambulância, que foi utilizada por empréstimo ao Hospital Dr. Paulo Sacramento até 1983.

            Em 1986 são construídos vários barracos e adquiridos outros no Jardim Fepasa para moradia dos assistidos pela Entidade.

            Em 21/12/1988 a Associação foi declarada de Utilidade Pública Estadual.

            Em 1990 outra casa é adquirida no Jardim Fepasa e é colocado em funcionamento o Gabinete Dentário, hoje contando com um aparelho de radiologia.

            Em 24/08/1992, a Prefeitura aprova a construção do Posto de Abastecimento e Serviços, sendo inaugurado em 09/07/1993, ficando assim todo o seu patrimônio, incorporado à Sede Nova da Associação.

            É reconhecido o empenho da sociedade civil, notadamente da maçonaria jundiaiense, de entidades como o “Rotary Club” e “Lions Club” e dos ex-prefeitos, Dr. Walmor Barbosa Martins e Dr. André Benassi, bem como da Câmara Municipal, nas pessoas dos ex-presidentes, Dr. Ariovaldo Alves e Dr. Jorge Haddad. Registra-se também o nome do Vereador Municipal, Sr. Francisco Assis Poço, autor do projeto lei que possibilitou esta obra.

            Em dezembro/1995 são concluídas duas casas no Parque Centenário, destinadas a duas famílias de assistidos.

            Também em dezembro/1995 é realizado no Clube Jundiaiense, um jogo de futebol, com profissionais do São Paulo F.C. (da capital) e atletas de Jundiaí, com toda a renda revertida para a entidade.

            Em 01/08/1996 foi assinado contrato para a instalação de um empreendimento de diversões em parte do terreno pertencente à entidade, e que amplia o seu patrimônio.

            Em 21/11/1997, a Associação é declarada de Utilidade Pública Federal, conforme decreto publicado em D.O.U., para o que se registra o empenho do Deputado Federal Dr. José Aníbal.

Em dezembro/1997 é aprovado o projeto do Deputado Estadual Caldini Crespo, instituindo o "Dia Estadual de Combate a Hanseníase", a ser comemorado todo último domingo do mês de janeiro.

            A partir de 1998, são incentivados programas de geração de renda, sendo administrados os cursos de formação profissional, tais como: curso de serigrafia, estamparia e pintura em tecidos, bem como o de confecção de calçados, panificação, computação dentre outros.

Parcerias com a iniciativa privada devem ser registradas, destacando-se as firmadas com: Melhoramentos Papéis Ltda., Indústrias Belesso e Meias Aço, com o intuito da terceirização de trabalho com adolescentes, filhos de portadores, propiciando a iniciação ao trabalho, educação, dinamismo e a capacitação desses jovens.

            Em 22/02/2006, a Entidade é registrada no Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS).

            Hoje a entidade oferece atendimento profissional de caráter voluntário nas seguintes especialidades: Odontologia (tratamento completo), Fonoaudiologia, Podologia, Psicologia e Fisioterapia atendendo seus usuários com os préstimos de uma assistente social em tempo integral.

            As ações da diretoria e de seus profissionais, ou seja, todos os programas da entidade são divulgados através do site: www.hansenianos.org.br e pelo boletim informativo trimestral distribuído a todos os sócios.
            
                       
            
                                             * Pesquisa em documentação existente na      Entidade, realizada pelo Sr. Virgílio Torricelli,(atual secretário do Conselho Deliberativo) e Srª. Fabiana Diório (ex-secretária da Entidade). 

 
            Fica registrado o valoroso trabalho voluntário dos profissionais ao longo dessa história: Cláudio Marques, Gabriel Ribeiro de Mattos, Roberto Sanchez, Wellington B. Leite, Lourdes Colanzi, Paulo Roberto Bossi,Maria Ivone de Almeida Perlini, Geni Pavan Alves, Olivia Tessaro, João Ricardo Silva de Almeida, Valquíria Cipolatto, Cássia H.Uehara, Ivana Brandão Lorencini, José Mateus Lopes da Silva, Renata Corte, Ari Marcansolla, Eliana A. Fontebasso, Gilson Leonardi, Janaína Faber Moreira, Simone Vaz Campos, Marcos Abramides de Angelis, Rosemeire Moreno, Oton Marco de Jesus Lima Carvalho, Ednéia Alves, Rose Silva, Michele Freitas, Roseli Aparecida Barros, Maria José da Silva, Renata Cristina Fagundes, Juliana Oliveira, Eduardo Rocha Locateli e Mariana Soares Povoa sem os quais a grandiosidade da Entidade não seria alcançada.

 
Top